NBA estuda final entre equipes da mesma Conferência

A ESPN norte-americana divulgou recentemente uma série de alterações que a NBA pretende implantar na liga já na temporada 2021-22, que prometem tornar a competição muito diferente do que conhecemos hoje. E segundo os repórteres Adrian Wojnarowski e Zach Lowe estas mudanças ainda estejam em estudo já seriam votadas na reunião da liga que irá acontecer em abril de 2020.

Porém, vale lembrar que para que todas as ideias entrem em processo de implantação precisariam também ser aprovadas pela NBPA, a National Basketball Players Association, organização que defende os interesses dos atletas perante a liga.

A ideia mais controversa de todas, sem nenhuma sombra de dúvida, é a criação de uma Copa dentro da NBA em estilo mata-mata e jogo único, que seria disputada por 8 times: os líderes de cada uma das divisões e as duas melhores equipes que não estivessem liderando uma divisão no momento.

O intuito desta Copa, que seria disputada entre novembro e dezembro, seria adicionar emoção a um momento “morno” da temporada, além de dar uma chance de título para equipes que não tem este sonho na temporada normal.

Outra mudança que promete criar polêmica é a criação de uma fase “pré playoffs”, onde o sétimo colocado de cada conferência enfrentaria o oitavo e o nono enfrentaria o décimo para definir os dois últimos classificados para os playoffs. Algo semelhante ao “wild card” da NFL.

Mas a mudança que deverá mesmo impactar na liga é a criação de um “Final Four” após a segunda rodada dos playoffs, com os quatro classificados disputando duas vagas na final independentemente da Conferência de cada uma das equipes. Com isso, poderíamos ver duas equipes da Conferência Leste ou da Conferência Oeste disputando o título da NBA em uma temporada.

Com todas estas mudanças uma última também seria muito necessária: a redução do número de jogos da temporada regular da liga. Atualmente cada equipe joga no mínimo 82 jogos em uma temporada, com este número podendo ser reduzido. A liga estabelece um número mínimo de 78, e é justamente estes números que deveremos ver caso as mudanças entrem mesmo em vigor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *