Scottie Pippen compara Michael Jordan e Kobe Bryant

O documentário produzido pela ESPN norte-americana “The Last Dance”, que chegou ao Brasil pela Netflix com o nome “Arremesso Final”, tem sido sucesso de público e crítica, ainda que tenha causado grande polêmica entre os antigos companheiros e o astro do Chicago Bulls Michael Jordan, por segundo eles não retratar de forma precisa os acontecimentos da última temporada do famoso time dos Bulls na década de 90.

Segundo o repórter da ESPN americana David Kaplan um dos mais revoltados com o documentário foi Scottie Pippen, que foi hexacampeão pelo Chicago Bulls ao lado de Jordan. E a entrevista de Pippen ao EssentiallySports, site sobre esportes dos Estados Unidos, parece deixar isso claro com o astro comparando o seu companheiro e Kobe Bryant:

– “Se esforçou muito para ser como Michael e realmente conseguiu. Quando vejo vídeos de partidas antigas dele, penso e digo a mim mesmo: “esse cara foi realmente melhor que Jordan!”. Trabalhou muito duro, saiu direto do ensino médio, não precisou passar pela Universidade da Carolina do Norte e ter um treinador como Dean Smith. Estou muito convencido: ele era melhor que Michael, mesmo que muitos não vejam isso”.

Além disso, Scottie Pippen também comentou o sucesso de Kobe Bryant fora do basquete, também considerado por alguns como outra alfinetada em Michael Jordan:

– “Kobe era de um tipo inteligente e se esforçava para ser o melhor em qualquer âmbito da vida. Fazia o que podia, realmente o que fosse para se tornar o melhor. Fez isso na NBA e também para ganhar um Oscar pelo seu curta-metragem e converter seus livros em best-sellers. Odeio não poder dizer para ele o quão bom era na realidade. Creio que muitas pessoas não tinham dimensão do que ele fazia”.

Resta saber agora como será a reação de outros companheiros de Jordan ao documentário. O jornalista Sam Smith, que cobria os Bulls na época, foi categórico em sua afirmação:

– “Há várias coisas no documentário que eu vi, eu sabia do fato, que Jordan inventou ou mentiu. Não eram coisas importantes, mas era como se fosse o lançamento de um filme em que estavam ali dizendo: ‘Isso é baseado numa história real’. Foi isso. Uma produção baseada numa história real. Muitos dos detalhes, como a história da pizza e da intoxicação não fizeram qualquer sentido”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *