Spike Lee faz a NBA ser citada durante o Oscar

A noite do último domingo ficou marcada pela cerimônia de entrega das estatuetas aos premiados na 91ª edição do Oscar, a maior e mais importante premiação do cinema mundial. E entre os indicados ao prêmio pela primeira vez como melhor diretor por seu trabalho em “Infiltrado na Klan” era Spike Lee, lendário diretor famoso não somente por sua obra mas também por ser um dos torcedores mais apaixonados pelo New York Knicks.

É raro vermos um jogo dos Knicks na NBA em casa no Madison Square Garden e não vermos Spike Lee sentado em sua tradicional cadeira na primeira fileira da arquibancada, mas por conta da cerimônia do Oscar neste domingo ele não estava lá no encontro entre o New York Knicks e o San Antonio Spurs. E ironicamente após 18 derrotas consecutivas em casa o time nova-iorquino acabou vencendo, fato que não passou em branco e foi anunciado por Samuel L. Jackson antes de anunciar os vencedores do Oscar na categoria de melhor roteiro adaptado.

“Antes de qualquer outra coisa, Spike… fico feliz que você esteja sentado. Depois de 18 derrotas seguidas em casa, os Knicks venceram nesta noite. Eu repito, os Knicks venceram”.

Para a alegria ser completa ainda para Spike Lee, o diretor logo na sequência foi o premiado e recebeu o primeiro Oscar de sua carreira, pelo roteiro adaptado de infiltrado na Klan, fazendo um discurso histórico para agradecer o seu prêmio, com críticas principalmente ao presidente Donald Trump:

“Hoje é 24 de fevereiro, o mês mais curto do ano. Também é o mês do ano da história negra. 1619… Há 400 anos nós fomos roubados da África e trazidos para a Virginia, escravizados. A minha avó, que viveu até 100 anos de idade, apesar de sua mãe ter sido escrava, conseguiu se formar. Ela viveu anos com seu seguro social, e conseguiu me levar para a universidade NYU. Diante do mundo, eu gostaria de reverenciar os ancestrais que construíram esse país, e também os que sofreram genocídios. Os ancestrais que vão ajudar a voltarmos a ganhar nossa humanidade. As eleições de 2020 estão chegando, vamos pensar nisso. Vamos nos mobilizar, estar do lado certo da história. É uma escolha moral. Do amor sobre ódio. Vamos fazer a coisa certa”.

Outro nome da noite que tem história no basquete é Mahershala Ali, vencedor do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por seu trabalho em Green Book, que em seu período de universidade defendia St. Mary’s.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *